Festa de gente preta pra gente preta. A AFROnto é assim. E é mais do que isso. É também um ato político, um espaço para dar visibilidade à cultura negra e valorizar DJs negros, músicos negros, drags negras.

“As festas em Belém têm um público majoritariamente branco, e as pessoas negras em determinados locais, como boates e casas de festas, são geralmente marginalizadas ou hostilizadas. Não é apenas violência física, muitas vezes é um olhar ou um tratamento. Festa como o AFROnto é um fortalecimento para pessoas negras”, acredita o estudante Emerson Caldas, em uma entrevista para o portal Leia Já.

Por isso, a AFROnto não podiam deixar o Dia da Consciência Negra, na segunda (20.11) passar em branco. A edição, eu também comemorou um ano da festa, rolou  na Casa Cultura e Bar do Jamaica, localizado na Praça do Carmo, na Cidade Velha.

O Leia Já produziu uma matéria bem bacana. Olha só:

A festa também publicou um vídeo da noite:

Comments

comments